Carne fraca, não se deixe enganar

By abril 26th, 2019 Cultiva-te, Lifestyle & saúde
Carne fraca

A questão é: somos enganados diariamente, seja através das propagandas que assistimos, dos produtos que consumimos, dos noticiários que acompanhamos, dos políticos ou partidos em que votamos e inclusive até mesmo das matérias(pode ficar tranquilo que não é não é o caso desta) que a gente lê por aí.

Isso é um fato, mas pior do que isso, é que, como seres humanos, temos tendência a acreditar nessas mentiras, mesmo tendo consciência de que aquilo que esta nos sendo contado é falso.

Deixamos nos enganar para manter nosso prazer, nosso conforto, mesmo que isso prejudique nossa saúde, ou cause sofrimentos a outras pessoas, animais ou ao meio ambiente.

__________

As pessoas para o consumo

Os seres humanos se tornaram simples consumidores, ávidos por produtos descartáveis, porém com conceitos “descolados” de fundo.

E vai desde a propaganda daquele carro de tamanho descomunal sendo pilotado no meio da natureza linda, bela e selvagem, mas que na realidade será dirigido em meio ao trânsito urbano, ocupando espaço e consumindo muita(muita mesmo) gasolina/petróleo, que polui e acelera a destruição desta mesma “natureza linda, bela e selvagem”, até uma simples embalagem plástica para armazenar alimentos, porém repleta de Bisphenol-A, substância cancerígena(saiba mais aqui).

Já os métodos usados pelas grandes indústrias para se defender de acusações é clara: basta investir em matérias ditas “científicas” para minimizar os problemas e desta forma iludir seus consumidores.

Além disso o apoio da publicidade e dos veículos de comunicação são essenciais para que o produto volte a ser largamente consumido e todo mundo esqueça seus malefícios.

Um exemplo é a indústria do tabaco, que sabia dos malefícios do fumo para os seres humanos bem antes destes serem revelados por estudos, porém, ela sabia também que as que evidências ligando o fumo a doenças eram estatísticas epidemiológicas, e que isso dava uma grande aberura jurídica já que era muito difícil relacionar diretamente o fumo ao câncer(Leia mais aqui).

Outra indústria que também segue este caminho é a indústria do açúcar, onde através do “Projeto 226”, pagou aos pesquisadores de Harvard o equivalente a 50 mil dólares por um artigo baseado em literatura científica sobre o consumo do açúcar(veja aqui). Fica claro aqui que o objetivo não era obter um artigo negativo, muito pelo contrário.

Outras grandes empresas, além dos casos acima — feita por grupos industriais que representam os interesses de setores como os produtores de carne e de frutas — costumam também financiar pesquisas ‘científicas”.

Desta forma essas pesquisas “positivas” financiadas se tornam parte da literatura científica e acabam sendo citados por outros pesquisadores, passando-se por um “fato científico”. O cigarro deixa de causar câncer, assim como o chumbo, o açúcar não causa mais diabetes e os agrotóximos fazem bem para sua saúde. Assim, muitas mentiras.

E por falar em carne

O caso mais recente, pelo menos no brasil, é o da investigação “carne fraca”, que identificou uma série de irregularidades nas empresas que comercializam diversos tipos de carne para consumo, como a carne de boi e o frango, por exemplo.

Porém, um dia depois das informações chocantes serem divulgadas publicamente, os veículos de comunicação, além do próprio governo, correram para “abafar” o caso, dizendo que a história não era bem essa, que estavam exagerando, enfim, uma clara tentativa de minimizar os prejuízos, que é tudo o que as grandes corporações querem.

Para o governo, é um prejuízo enorme com a exportação, já para os grandes grupos de mídia, serão muitas as perdas e investimentos publicitários.

Além disso, eles(governo + mídia) sabem também que as pessoas que consomem carne estão ávidas por um contraponto, por uma justificativa que alivie um pouco a preocupação com a saúde, mesmo que venha por meio de uma notícia falsa.

A carne e o câncer

Aliás, não foi a primeira vez que a carne foi relacionada a algo ruim, já que em 2015 a OMS(organização mundial de saúde), revelou o resultado de uma pesquisa que mostrava claramente a relação da carne processada e embutica com alguns tipos de câncer(leia aqui).

Mesmo com toda essa “epidemia” moderna de câncer, com crescimento no número de casos que muito claramente estão relacionados ao consumo tanto das carnes, como de outros tipos de alimentos industrializados repletos de conservantes cancerígenos como o nitrito, por exemplo, qual o resultado? Tudo abafado novamente, em prol dos interesses financeiros.

E por falar em animais

Um outro ponto, além da saúde, mas que está bem claro para as pessoas que se alimentam de carne — mas que estas também preferem se deixar enganar — é o do próprio abate do animal. As indústrias vendem a história do tratamento “humanizado” para os milhares de animais mortos diariamente em todo o planeta.

Porém, o que acontece é bem diferente. Caso não acredite, faça uma simples pesquisa na internet, ou, caso tenha coragem(e estômago), assista a vídeos como o filme Earthlings(assista aqui).

Existe uma saída?

É difícil encontrar uma saída fácil, mas a principal dica é: investigue, pesquise e não se deixe enganar.

Você não precisa ficar paranóico em busca de informações detalhadíssimas, mas pode melhorar muito a sua vida e também a dos demais simplesmente tendo consciência daquilo que você consome.

Não acredite em embalagens, propagandas, matérias ou tudo mais que encontra por aí. Entenda como funciona a sociedade e não se deixe enganar(consciente ou inconscientemente).

Leave a Reply