Como substituir o açúcar por opções saudáveis

Ganho de peso, cáries, diabetes tipo 2, aceleração do envelhecimento, diminuição da imunidade, inflamações generalizadas, câncer, problemas cognitivos e alterações da flora intestinal. Por incrível que possa parecer, todos esses problemas estão relacionados ao consumo do açúcar, principalmente o açúcar de mesa(refinado), a forma mais usada nos mais diversos tipos de receitas.

Os açúcares refinados não são somente vazio de nutrientes, mas também podem ser classificados como antinutrientes, já que consomem nutrientes de nosso próprio corpo(principalmente os minerais) para que possam ser metabolizados.

Por isso, você tem duas opções para evitar estes problemas: cortar o açúcar da sua dieta ou então substituí-lo por opções menos maléficas.

O ideal é que se faça as duas coisas.

Experimente, por exemplo, tomar aquele cafézinho diário sem açúcar. A experiência no início pode ser um pouco estranha, pois você vai sentir todo o amargor que naturalmente faz parte do sabor do café e que é anulado pelo açúcar. Depois de alguns dias(ou semanas, dependendo da pessoa) tomando o café sem adoçar, o estranho vai ser voltar a colocar açúcar no café.

Substituindo o açúcar por outro tipo de adoçante

Como sabemos, não é uma tarefa das mais fáceis escolher um substituto para o açúcar, já que alguns tipos de adoçantes estão também associados a doenças como o câncer, por exemplo.

As soluções ideais

A primeira e mais natural solução seria a utilização do mel de abelhas, que possui 80% de açúcar, sendo por volta 40% frutose e 40% glicose e é rico em aminoácidos, minerais, vitaminas e antioxidantes.

O açúcar mascavo seria uma outra boa opção, mas precisa ser usado com cautela, já que o seu índice glicêmico também é alto. É rico em ferro, por isso um aliado contra a anemia, além de possuir outras vitaminas e minerais, como o manganês, magnésio e potássio.

Outro tipo de açúcar que é bem interessante, mas que também precisa ser usado com parcimônia, é o açúcar de coco. Ele possui um índice glicêmico bem mais baixo e por isso é metabolizado mais lentamente pelo organismo, sem elevar de maneira brusca os níveis de glicose no sangue.

A Stévia é uma das soluções ideais para aqueles que sofrem de diabetes, já que ajuda a diminuir os níveis de glicose no sangue.

O Xilitol

O xilitol é o adoçante da moda(e com muitos motivos), já que tem um sabor muito próximo do açúcar, mas com 40% menos calorias, além de um índice glicêmico muito baixo. Ajuda a evitar cáries e placas bacterianas, já que torna a saliva alcalina. O Xilitol é tão eficiente e benéfico para os dentes que você pode até fazer uma pasta de dentes caseira com ele(veja aqui nossa receita).

Funciona também como um prebiótico, alimentando as bactérias benéficas da nossa flora intestinal. Além disso, ele melhora a absorção de cálcio no organismo, ajuda a combater infecções nos ouvidos e sinus. É eficiente também contra a Candida Albicans, fungo causador de inúmeros problemas de saúde.

Atenção!

O Xilitol só tem um porém: é extremamente perigoso para os animais domésticos, principalmente os cães.

O grande problema é que tanto nos humanos como nos cães, o nível de açúcar é controlado através do pâncreas, que libera insulina com essa finalidade. Porém, para as espécies não primatas, o consumo de xilitol(mesmo em pequenas quantidades), produz a estimulação do pâncreas para liberar a insulina, o que resulta em uma diminuição rápida dos níveis de açúcar no sangue.

Assim, dependendo do tamanho do animal e da quantidade consumida, essa hipoglicemia poderá acontecer entre dez e sessenta minutos depois da ingestão do produto e poderá causar danos permanentes e até mesmo a morte do animal.

Portanto, mantenha sua pasta de dente e também o seu xilitol armazenado bem longe destes animais, já que ele é praticamente um veneno para eles.

Referências / Fontes:
Flávio Passos
Estilo UOL

Os perigos e os dissabores do forno micro-ondas

Ícone da sociedade de consumo baseada na velocidade em detrimento da qualidade, o forno micro-ondas foi descoberto por acaso em 1945 pelo engenheiro electrotécnico Percy LeBaron Spencer, quando uma barra de chocolate que levava no bolso derreteu quando este passava por um radar.

Logo o forno micro-ondas, graças a velocidade que aquecia os alimentos, foi visto como um substituto do forno convencional. Foi adotado em praticamente em todas as residências brasileiras principalmente à partír dos anos 90.

Mas, vale a pena ter um forno deste em casa?

Para nós, a resposta é fácil: não.

Primeiro, o sabor e a textura do alimento aquecido é muito pior quando comparado ao forno tradicional. Experimente aquecer uma empada ou um quiche, por exemplo. O resultado é que o que era para ser crocante fica totalmente mole e sem sabor!

Em segundo lugar, é necessário saber que o forno micro-ondas funciona com uma radiação eletromagnética de alta frequência e que um vazamento desta radiação pode ser extremamente perigosa para sua saúde.

Se mesmo assim você quiser utilizar este tipo de forno, vale prestar atenção ao tempo de uso do aparelho, se a porta está funcionando direitinho e mesmo assim mantenha distância quando este estiver ligado.

Além disso, não se deve ficar olhando de perto o funcionamento do forno porque os olhos possuem muita água, cujas moléculas também são agitadas e aquecidas pelas microondas”, afirma o engenheiro eletrônico José Kleber da Cunha Pinto, da Universidade de São Paulo (USP).

Você também pode correr riscos ao aquecer recipientes plásticos compostos por BPA ou outras substâncias que podem ser cancerígenas(leia mais sobre o BPA aqui).

E como fazer pipoca sem micro-ondas?

Fácil! Basta uma panela, um pouco de óleo e alguns minutos a mais de paciência, já que não demora muito mais para a pipoca ficar pronta no fogão se comparada ao micro-ondas. Cerca de 5 minutos de diferença e olhe lá.

Quer mais motivos?

Um estudo realizado em 1999 sobre o cozimento de aspargos indicou que sua preparação no micro-ondas causou redução de vitaminas. Em outro estudo, desta vez sobre o alho, mostrou que 60 segundos de aquecimento no micro-ondas era suficiente para desativar a aliinase, princípio ativo do alho utilizado contra o câncer. Já o brócolis refogado no micro-ondas com pouca água perdeu até 97% dos antioxidantes benéficos.

E então, quer um alimento sem sabor, sem textura e sem nutrientes? Então use o micro-ondas.

O aquecimento no microondas cria novos compostos que não são encontrados na natureza, conhecidos como compostos radiolíticos. Ainda não sabemos qual o efeito dessas substâncias no corpo humano, mas já sabemos que não promovem a saúde.

Para finalizar, esqueça a comida com sabor de plástico! Lembre-se que nada é tão bom quanto o sabor de um alimento preparado no forno ou fogão, mesmo que de uma forma prática para suportar a correria do nosso dia-a-dia.

Fontes:
Ecycle
Cura pela Vida
Mundo Estranho
Green Me

Meditação pode ajudar contra doenças cardíacas

Pela primeira vez, a American Heart Association (AHA) emitiu uma declaração sobre os efeitos positivos da meditação para o coração.

Especialistas do AHA revisaram dezenas de estudos analizando 8 diferentes tipos de meditação e seus efeitos positivos em relação a diversos problemas cardíacos, como por exemplo o ataque cardíaco, a pressão sanguínea, o estresse, a aterosclerose, etc.

No geral, os estudos foram considerados encorajadores e positivos, como afirmou a Dra. Glenn Levine, presidente da AHA e da American College of Cardiology. Mas os dados ainda não são suficientes para justificar uma recomendação da meditação para tratamentos de doenças cardíacas.

“Nossa mensagem clara é que a meditação pode ser uma intervenção [adicional] boa, mas especificamente não queremos que as pessoas dependam da meditação ou de outras intervenções auxiliares no lugar de terapias comprovadas”, diz Levine.

A meditação pode ajudar a diminuir alguns dos fatores de risco para doença cardíaca, como reduzir o estresse e a pressão arterial. Ela ajuda a reduzir os níveis de hormônios do estresse no corpo, que são associados a um maior risco de ataques cardíacos e mantém a pressão arterial baixa, reduzindo o risco de problemas cardíacos.

De qualquer forma, a meditação pode atuar como um complemento, e assim que novos estudos forem realizados, a meditação pode ganhar ainda mais força nos diversos tipos de tratamento.

Fonte: Revista TIME

Penne ao molho de abacate

Essa receita de “penne ao molho de abacate” tem muito frescor, já que o molho não é cozido e tem ingredientes com muito sabor, como o manjericão e o hortelã. Além disso é vegetariana e pode ser também vegana caso você substitua o penne por uma versão sem ovos(feito com arroz ou com farinha de milho, por exemplo).

O ingrediente principal é o abacate, que vai fazer neste caso o papel do creme de leite ou do molho roux. Para quem está acostumado a comer o abacate somente em sobremesas, pode parecer estranho no princípio ver a consistência do molho e não fazer a associação direta com o sabor doce.

Mas, logo na primeira garfada a ideia de que o abacate só serve para pratos doces vai embora quase que de imediato. Na verdade é bem capaz, como foi no meu caso, que aconteça o inverso, que o abacate comece a ser visto como mais um ingrediente para se fazer pratos salgados do que doces.

Enfim, vale a pena experimentar esse molho de abacate, seja você onívoro, vegetariano ou vegano. Nos três casos com certeza vai adorar essa receita.

Penne ao molho de abacate

Print This
Serves: 2 Prep Time: Cooking Time:

Ingredients

  • 250 gramas de penne
  • 1 abacate médio bem maduro
  • 1/2 maço de manjericão
  • 3 a 5 colheres de sopa de azeite
  • 1/2 limão
  • 1/4 de copo de água
  • 2 dentes de alho
  • 1 colher de café de hortelã desidratado
  • sal
  • pimenta preta moída na hora

Instructions

Em uma panela, coloque cerca de um litro de água para ferver, adicione uma colher de chá de sal e assim que a água começar a ferver, coloque o penne e deixe até que ele fique “ao dente”(nem muito duro nem muito macio).

Enquanto isso, prepare o molho, colocando todos os outros ingredientes(abacate, manjericão, azeite, limão, água, alho, hortelã, sal e a pimenta) em um liquidificador. Bata até conseguir uma mistura homogênea, isto é, até que o manjericão praticamente se dissolva no molho.

Quando o penne estiver no ponto certo, escoe a água e reserve. Adicone então o molho sobre o penne, misture e pronto!

O ideal é servir de imediato, já que o frescor do molho vai ser perder caso seja armazenado de alguma forma. Além disso, o abacate costuma se oxidar facilmente e ficar escuro caso seja armazenado.

Bom apetite!

Conheça os motivos para você comer alimentos ricos em prebióticos

Os alimentos ricos em prebióticos, como o alho cru e as alcachofras, servem como comida para as boas bactérias, ou os chamados probióticos(isso mesmo, com “pro”), que quando bem alimentados geram diversos benefícios ao corpo humano.

Os probióticos são os alimentos que estão na moda quando se fala em saúde e nada mais são que as bactérias benéficas que vivem em nosso aparelho digestivo e encontradas em alimentos como iogurtes e alimentos fermentados.

os prebióticos são certos tipos de fibras encontradas naturalmente em alguns alimentos e que servem de alimento aos probióticos. Quando esses últimos se alimentam, eles não apenas se multiplicam, como também liberam subprodutos metabólicos, de acordo com um estudo(leia aqui) da University of Colorado Boulder(UCB).

Resumindo, os prebióticos deixam os probióticos felizes, e probióticos felizes trazem muitos benefícios para nossa saúde.

Mas nem todas as fibras são consideradas prebióticos, já que para ter essa classificação, o alimento prebiótico precisa, de acordo com o Instituto Nacional de Saúde Americano, ser resistente à acidez gástrica, passar por hidrólise por enzimas, ter absorção no trato gastrointestinal superior, além de ser fermentado pela microflora intestinal e por consequência estimular o crescimento das bactérias intestinais potencialmente associadas com a saúde e o bem-estar.

Além do alho cru e da alcachofra, outros alimentos ricos em prebióticos são: a cebola, o tomate, a banana, a cevada, aveia, trigo, cerveja e mel. Também está presente nas cascas de oleaginosas e leguminosas como a linhaça, soja e na raíz da chicória.

Os benefícios são diversos, como a melhora do sono, já que o estudo da UCB sugere que uma dieta rica em prebióticos melhora o sono no estágio anterior ao REM, que é o estágio mais profundo do sono.

Melhora da saúde psicológica e do cérebro, já que ao melhorar o sono automaticamente a saúde do cérebro melhorará consideravelmente.

Além disso, alimentos ricos em prebióticos ajudam a reduzir o risco de câncer coloretal, de acordo com nove estudos feitos pela Universidade de Minnesota. Também aumenta a absorção de cálcio e a sensação de saciedade, podendo levar até mesmo a perda de peso.

Por isso, a partir de hoje, coloque em sua lista de compras todos esses alimentos ricos em prebióticos.

Fonte / Referências:
• Tree Hugger : “6 reasons to eat more food rich in prebiotics”

Instituto Nacional de Saúde Americano

University of Colorado Boulder(UCB)

Manteiga de abacate vegana

Esta receita de manteiga de abacate vegana é facílima de preparar e fica pronta em minutos. Além disso, necessita de poucos ingredientes, no caso o avocado, fruto que é da família do abacate, só que tem menos água e por isso tem um sabor mais forte e concentrado, além do limão, sal do himalaia e por fim o óleo de coco.

Você pode também incrementar essa receita incluindo outros ingredientes como a salsinha, a pimenta, o alho, etc.

Porém, agora vamos ensinar a receita de uma manteiga base para ser usada no dia a dia, de preferência substituindo a manteiga normal, o que trará inúmeros benefícios para a saúde, já que o abacate e os demais ingredientes desta receita são totalmente de origem vegetal, e portanto veganos, além, claro, de possuírem diversas propriedades benéficas.

O sabor também é incrível e se bobear superior ao da manteiga tradicional feita a partir do leite. Vale a pena pelo menos experimentar!

As propriedades do avocado

O avocado pode ser considerado um alimento funcional, já que é muito nutritivo, pois é rico em vitamina A, C, E e B6.

O avocado também contribui para deixar a pele mais saudável, previne infecções, auxilia em tratamentos de impotência sexual e ajuda a manter a saúde dos olhos. Ele também possui uma ótima quantidade de potássio, mineral que está presente em diversas(dezenas) funções de nosso corpo, além do fósforo, que é fundamental para a formação dos ossos e dentes.

Sua gordura é a insaturada, o que faz com que nossa manteiga de abacate seja o oposto da manteiga tradicional, repleta de gorduras saturadas. Além disso, possui fitoesteróis, que são um grupo de esteróis naturalmente presentes nas plantas e que ajudam na redução do colesterol.

Bom, propriedades e benefícios apresentados, vamos ao principal, que é a receita desta deliciosa manteiga de abacate vegana:

Manteiga de abacate vegana

Print This
Serves: 12 Prep Time:

Ingredients

  • 4 avocados bem maduros
  • 5 colheres de óleo de coco
  • Sumo de 1 limão
  • sal do himalaia

Instructions

Descasque os abacates e coloque-o em um recipiente. Utilize um garfo para massa-lo bastante(caso prefira, você também pode usar o liquidificador. Adicione os demais ingredientes e misture tudo muito bem com uma colher, até que se obtenha uma mistura homogênea. Pronto! Fácil, não?

Armazene em um pote com tampa em geladeira. Com o resfriamento, o óleo de coco presente na receita se solidifica, deixando a mistura mais parecida com a consistência da manteiga. Utilize em torradas, pães e lanches, saladas, etc.

Bom apetite!

As fotografias do monge Matthieu Ricard

O que esperar de fotos tiradas por um monge budista?
E se esse monge for também um ex-geneticista molecular do Instituto Pasteur, na França e ainda por cima considerado pela ciência como “o homem mais feliz do mundo”?

Essas são as fotografias do monge budista Matthieu Ricard, que em 2012 foi declarado por pesquisadores da Universidade de Wisconsin, nos Estados Unidos, simplesmente como o “homem mais feliz do mundo”. Esses pesquisadores constataram que o cérebro de Ricard produzia um nível de ondas gama nunca antes relatada na neurociência.

O estudo revelou que, graças à meditação, ele tem uma capacidade incrivelmente anormal de sentir felicidade e uma propensão reduzida para a negatividade.

Um pouco sobre Matthieu Ricard

Nascido em 1946, Matthieu Ricard formou-se Ph.D. em genética molecular no Instituto Pasteur, em 1972, área que abandonou após completar sua tese de doutorado, para se dedicar ao budismo tibetano.

De lá para cá, são mais de 40 anos dedicados à prática do budismo e da meditação.

fotografias do monge budista Matthieu Ricard
Fotografia tirada pelo monge budista Matthieu Ricard.

As fotografias do monge

“A vida espiritual de Matthieu e sua câmera são uma coisa só, da qual jorra essas imagens, efêmeras e eternas” – Henri Cartier Bresson, sonbre o trabalho fotográfico de Matthieu Ricard.

Matthieu consegue capturar de uma forma única a felicidade nas suas fotografias, seja dos mestres espirituais ou mesmo das pessoas “comuns” que fotografa no Nepal, país onde reside, no monastério de Shechen Tennyi Dargyeling. Além de pessoas, Matthieu Ricard também fotografa diversas paisagens naturais da região do Himalaia.

Publicou os livros de fotografia “Tibet, An Inner Journey” e “Monk Dancers of Tibet”, além de participar de outros projetos como os também livros fotográficos “Buddhist Himalayas”, “Journey to Enlightenment” e “Motionless Journey: From a Hermitage in the Himalayas”.

Os livros do monge

Além da fotografia, Matthieu Ricard também se dedica a espalhar os conceitos de felicidade, meditação e do budismo em todo o ocidente. Tem dois livros lançados em português, “Felicidade. A Prática do Bem-Estar” e “A Revolução do Altruísmo”.

Para saber mais

Suas fotografias, além de outras informações sobre projetos pessoais podem ser acompanhados em seu site pessoal: matthieuricard.org. Visite e conheça.

Entenda o Projeto ReSource e a neurociência da compaixão

Nesta palestra, postada pelo canal Lojong, no Youtube, e que você pode assistir logo abaixo, Tania Singer, diretora do departamento de neurociência no “Max Planck Institute for Human Cognitive and Brain Sciences”, em Leipzig, Alemanha, apresenta o Projeto ReSource, um estudo científico que comprova como é possível mudar nossas mentes – inclusive fisicamente – com práticas diárias de 30 minutos de meditação, voltada principalmente para a compaixão.

Singer revela como o resultado positivo desses estudos podem influenciar e mudar significativamente os valores pré-estabelecidos da sociedade em que vivemos, incluindo uma revisão das nossas leis, das formas de consumo e também sobre a forma como educamos as crianças.

Aplicando os treinamentos do Projeto ReSource em larga escala, poderíamos desenvolver aos poucos uma sociedade menos egoísta e mais altruísta, menos violenta e mais pacífica, com valores e referências que não fazem parte a nenhuma religião, mas sim de um treinamento do cérebro voltado simplesmente para a compaixão.

Assista abaixo ao video e entenda mais sobre o projeto e os resultados das pesquisas(ative as legendas clicando no ícone de legenda na barra inferior do próprio vídeo):

https://youtu.be/B1vN3J3FLx0

Saiba quais são os possiveis perigos dos parabenos para sua saúde

Os parabenos são conservantes sintéticos utilizados em milhares de produtos em todo o mundo, como alimentos, medicamentos e principalmente cosméticos, como shampoos e condicionadores(adulto e infantis), maquiagens, loções, esmaltes, cremes, desodorantes, sabonetes, perfumes, etc. Esta matéria tem por objetivo mostrar quais são os possiveis perigos dos parabenos para sua saúde e como você pode(ou deve) fazer para evitá-los.

O questionamento dos perigos dos parabenos para sua saúde surgiram após algumas pesquisas mostrarem indícios do uso destes conservantes com o desenvolvimento de certos tipos de câncer, como o de mama(em 2004, um estudo conduzido por oncologistas da Universidade de Reading, Inglaterra, com tecidos de mama cancerígenos, verificaram que 99% das amostras analisadas de pacientes haviam resquícios de parabenos).

Uma outra pesquisa, desta vez conduzida pelo Laboratório de Saúde Pública de Tóquio, em 2002, aponta que o propilparabeno, um tipo de parabeno, pode afetar(negativamente) a fertilidade de mamíferos.

Tudo isso porque o parabeno interfere no sistema endócrino e possui atividade estrogênica quando infiltrado em nosso corpo, o que significa que ele se passa por um hormônio. Por isso é considerado um disruptor(ou desregulador) endócrino(saiba mais aqui sobre os disruptores endócrinos).

Os tipos mais comuns de parabenos são o metilparabeno, o propilparabeno, o butilparabeno e o etilparabeno. Por isso, leia atentamente o rótulo dos produtos que você costuma consumir para verificar se estes possuem ou não parabenos. A melhor forma de evitar os perigos dos parabenos é se informando e evitando produtos que o contenham.

No Brasil, existe um controle rígido e um limite estabelecido pela Anvisa, que estabelece limites máximos de parabenos nos produtos, com concentrações máximas de 0,4% de cada parabeno e um máximo de 0,8% de parabenos totais em cosméticos.

Apesar disso, nossa sugestão é que você evite comprar produtos que contenham parabenos, valendo a pena até mesmo importar produtos naturais sem essa substância. Nós, por exemplo, costumamos comprar cosméticos importando estes do iherb.com, que demoram entre 1 e 2 meses para chegar mas valem muito a pena.

Outra solução: faça você mesmo seu cosmético natural!

Você também pode optar por fazer seu próprio cosmético em casa, usando seu próprio conservante natural(como por exemplo o óleo de coco, a canela, ou ambos, que são extremamente eficientes e saudáveis) e montando seu produto da forma como achar melhor.

Nós, do Cultivate, temos uma seção em nosso site(Faça você mesmo – clique aqui para conhecer) com diversas receitas de produtos que você pode fazer facilmente em casa, como pastas de dentes, enxaguantes bucais, repelentes de insetos, entre diversos outros.

Mesmo que você leia por aí artigos informando que os parabenos não são tão ruins assim e que não existem reais “perigos dos parabenos” para sua saúde, vale(e muito) evitar o risco, já que é comum a indústria fazer a defesa de substâncias(como já fizeram com o cigarro e com o chumbo presente em tintas, por exemplo – inclusive com artigos “científicos”) com grandes indícios de serem perigosas para a saúde, para amenizar seus prejuízos financeiros.

Infelizmente é assim que acontece sempre, o lucro colocado sobre o bem-estar e a saúde das pessoas e do meio ambiente.

Fontes e referências
• Lookaholic – “Parabenos fazem mal para a saúde mesmo?”
• E-cycle – “Você conhece os problemas dos parabenos?”
• Beleza e Saúde – “Você se preocupa com os parabenos?”

O poder da meditação e da yoga no documentário “Free the Mind”

Dirigido por Phie Ambo, o documentário “Free the Mind” mostra como a ciência está investigando o poder da meditação e da yoga através de estudos e testes ordenados pelo pesquisador, neurocientista e renomado professor Richard Davidson.

Davidson foi incentivado, em 1992, por Dalai Lama a realizar diversos estudos sobre a meditação para comprovar seus benefícios.

Para o documentário, o neurocientista selecionou crianças e veteranos de guerra que desenvolveram transtornos psicológicos decorrentes de algum trauma e submeteu estes a longos períodos diários de meditação e yoga, porém durante apenas uma semana.

Durante o documentário, é possível perceber uma clara evolução daqueles que foram submetidas ao experimento, enfim, o poder da meditação e da yoga, tudo comprovado através de testes cujos resultados são mostrados ao final do filme.

É um documentário muito interessante, que vale a pena ver, disponível online para os assinantes da Netflix.

Para saber mais sobre o filme, clique aqui.

Trailer Oficial