Como substituir o açúcar por opções saudáveis

Ganho de peso, cáries, diabetes tipo 2, aceleração do envelhecimento, diminuição da imunidade, inflamações generalizadas, câncer, problemas cognitivos e alterações da flora intestinal. Por incrível que possa parecer, todos esses problemas estão relacionados ao consumo do açúcar, principalmente o açúcar de mesa(refinado), a forma mais usada nos mais diversos tipos de receitas.

Os açúcares refinados não são somente vazio de nutrientes, mas também podem ser classificados como antinutrientes, já que consomem nutrientes de nosso próprio corpo(principalmente os minerais) para que possam ser metabolizados.

Por isso, você tem duas opções para evitar estes problemas: cortar o açúcar da sua dieta ou então substituí-lo por opções menos maléficas.

O ideal é que se faça as duas coisas.

Experimente, por exemplo, tomar aquele cafézinho diário sem açúcar. A experiência no início pode ser um pouco estranha, pois você vai sentir todo o amargor que naturalmente faz parte do sabor do café e que é anulado pelo açúcar. Depois de alguns dias(ou semanas, dependendo da pessoa) tomando o café sem adoçar, o estranho vai ser voltar a colocar açúcar no café.

Substituindo o açúcar por outro tipo de adoçante

Como sabemos, não é uma tarefa das mais fáceis escolher um substituto para o açúcar, já que alguns tipos de adoçantes estão também associados a doenças como o câncer, por exemplo.

As soluções ideais

A primeira e mais natural solução seria a utilização do mel de abelhas, que possui 80% de açúcar, sendo por volta 40% frutose e 40% glicose e é rico em aminoácidos, minerais, vitaminas e antioxidantes.

O açúcar mascavo seria uma outra boa opção, mas precisa ser usado com cautela, já que o seu índice glicêmico também é alto. É rico em ferro, por isso um aliado contra a anemia, além de possuir outras vitaminas e minerais, como o manganês, magnésio e potássio.

Outro tipo de açúcar que é bem interessante, mas que também precisa ser usado com parcimônia, é o açúcar de coco. Ele possui um índice glicêmico bem mais baixo e por isso é metabolizado mais lentamente pelo organismo, sem elevar de maneira brusca os níveis de glicose no sangue.

A Stévia é uma das soluções ideais para aqueles que sofrem de diabetes, já que ajuda a diminuir os níveis de glicose no sangue.

O Xilitol

O xilitol é o adoçante da moda(e com muitos motivos), já que tem um sabor muito próximo do açúcar, mas com 40% menos calorias, além de um índice glicêmico muito baixo. Ajuda a evitar cáries e placas bacterianas, já que torna a saliva alcalina. O Xilitol é tão eficiente e benéfico para os dentes que você pode até fazer uma pasta de dentes caseira com ele(veja aqui nossa receita).

Funciona também como um prebiótico, alimentando as bactérias benéficas da nossa flora intestinal. Além disso, ele melhora a absorção de cálcio no organismo, ajuda a combater infecções nos ouvidos e sinus. É eficiente também contra a Candida Albicans, fungo causador de inúmeros problemas de saúde.

Atenção!

O Xilitol só tem um porém: é extremamente perigoso para os animais domésticos, principalmente os cães.

O grande problema é que tanto nos humanos como nos cães, o nível de açúcar é controlado através do pâncreas, que libera insulina com essa finalidade. Porém, para as espécies não primatas, o consumo de xilitol(mesmo em pequenas quantidades), produz a estimulação do pâncreas para liberar a insulina, o que resulta em uma diminuição rápida dos níveis de açúcar no sangue.

Assim, dependendo do tamanho do animal e da quantidade consumida, essa hipoglicemia poderá acontecer entre dez e sessenta minutos depois da ingestão do produto e poderá causar danos permanentes e até mesmo a morte do animal.

Portanto, mantenha sua pasta de dente e também o seu xilitol armazenado bem longe destes animais, já que ele é praticamente um veneno para eles.

Referências / Fontes:
Flávio Passos
Estilo UOL

Os perigos e os dissabores do forno micro-ondas

Ícone da sociedade de consumo baseada na velocidade em detrimento da qualidade, o forno micro-ondas foi descoberto por acaso em 1945 pelo engenheiro electrotécnico Percy LeBaron Spencer, quando uma barra de chocolate que levava no bolso derreteu quando este passava por um radar.

Logo o forno micro-ondas, graças a velocidade que aquecia os alimentos, foi visto como um substituto do forno convencional. Foi adotado em praticamente em todas as residências brasileiras principalmente à partír dos anos 90.

Mas, vale a pena ter um forno deste em casa?

Para nós, a resposta é fácil: não.

Primeiro, o sabor e a textura do alimento aquecido é muito pior quando comparado ao forno tradicional. Experimente aquecer uma empada ou um quiche, por exemplo. O resultado é que o que era para ser crocante fica totalmente mole e sem sabor!

Em segundo lugar, é necessário saber que o forno micro-ondas funciona com uma radiação eletromagnética de alta frequência e que um vazamento desta radiação pode ser extremamente perigosa para sua saúde.

Se mesmo assim você quiser utilizar este tipo de forno, vale prestar atenção ao tempo de uso do aparelho, se a porta está funcionando direitinho e mesmo assim mantenha distância quando este estiver ligado.

Além disso, não se deve ficar olhando de perto o funcionamento do forno porque os olhos possuem muita água, cujas moléculas também são agitadas e aquecidas pelas microondas”, afirma o engenheiro eletrônico José Kleber da Cunha Pinto, da Universidade de São Paulo (USP).

Você também pode correr riscos ao aquecer recipientes plásticos compostos por BPA ou outras substâncias que podem ser cancerígenas(leia mais sobre o BPA aqui).

E como fazer pipoca sem micro-ondas?

Fácil! Basta uma panela, um pouco de óleo e alguns minutos a mais de paciência, já que não demora muito mais para a pipoca ficar pronta no fogão se comparada ao micro-ondas. Cerca de 5 minutos de diferença e olhe lá.

Quer mais motivos?

Um estudo realizado em 1999 sobre o cozimento de aspargos indicou que sua preparação no micro-ondas causou redução de vitaminas. Em outro estudo, desta vez sobre o alho, mostrou que 60 segundos de aquecimento no micro-ondas era suficiente para desativar a aliinase, princípio ativo do alho utilizado contra o câncer. Já o brócolis refogado no micro-ondas com pouca água perdeu até 97% dos antioxidantes benéficos.

E então, quer um alimento sem sabor, sem textura e sem nutrientes? Então use o micro-ondas.

O aquecimento no microondas cria novos compostos que não são encontrados na natureza, conhecidos como compostos radiolíticos. Ainda não sabemos qual o efeito dessas substâncias no corpo humano, mas já sabemos que não promovem a saúde.

Para finalizar, esqueça a comida com sabor de plástico! Lembre-se que nada é tão bom quanto o sabor de um alimento preparado no forno ou fogão, mesmo que de uma forma prática para suportar a correria do nosso dia-a-dia.

Fontes:
Ecycle
Cura pela Vida
Mundo Estranho
Green Me

Penne ao molho de abacate

Essa receita de “penne ao molho de abacate” tem muito frescor, já que o molho não é cozido e tem ingredientes com muito sabor, como o manjericão e o hortelã. Além disso é vegetariana e pode ser também vegana caso você substitua o penne por uma versão sem ovos(feito com arroz ou com farinha de milho, por exemplo).

O ingrediente principal é o abacate, que vai fazer neste caso o papel do creme de leite ou do molho roux. Para quem está acostumado a comer o abacate somente em sobremesas, pode parecer estranho no princípio ver a consistência do molho e não fazer a associação direta com o sabor doce.

Mas, logo na primeira garfada a ideia de que o abacate só serve para pratos doces vai embora quase que de imediato. Na verdade é bem capaz, como foi no meu caso, que aconteça o inverso, que o abacate comece a ser visto como mais um ingrediente para se fazer pratos salgados do que doces.

Enfim, vale a pena experimentar esse molho de abacate, seja você onívoro, vegetariano ou vegano. Nos três casos com certeza vai adorar essa receita.

Penne ao molho de abacate

Print This
Serves: 2 Prep Time: Cooking Time:

Ingredients

  • 250 gramas de penne
  • 1 abacate médio bem maduro
  • 1/2 maço de manjericão
  • 3 a 5 colheres de sopa de azeite
  • 1/2 limão
  • 1/4 de copo de água
  • 2 dentes de alho
  • 1 colher de café de hortelã desidratado
  • sal
  • pimenta preta moída na hora

Instructions

Em uma panela, coloque cerca de um litro de água para ferver, adicione uma colher de chá de sal e assim que a água começar a ferver, coloque o penne e deixe até que ele fique “ao dente”(nem muito duro nem muito macio).

Enquanto isso, prepare o molho, colocando todos os outros ingredientes(abacate, manjericão, azeite, limão, água, alho, hortelã, sal e a pimenta) em um liquidificador. Bata até conseguir uma mistura homogênea, isto é, até que o manjericão praticamente se dissolva no molho.

Quando o penne estiver no ponto certo, escoe a água e reserve. Adicone então o molho sobre o penne, misture e pronto!

O ideal é servir de imediato, já que o frescor do molho vai ser perder caso seja armazenado de alguma forma. Além disso, o abacate costuma se oxidar facilmente e ficar escuro caso seja armazenado.

Bom apetite!

Conheça os motivos para você comer alimentos ricos em prebióticos

Os alimentos ricos em prebióticos, como o alho cru e as alcachofras, servem como comida para as boas bactérias, ou os chamados probióticos(isso mesmo, com “pro”), que quando bem alimentados geram diversos benefícios ao corpo humano.

Os probióticos são os alimentos que estão na moda quando se fala em saúde e nada mais são que as bactérias benéficas que vivem em nosso aparelho digestivo e encontradas em alimentos como iogurtes e alimentos fermentados.

os prebióticos são certos tipos de fibras encontradas naturalmente em alguns alimentos e que servem de alimento aos probióticos. Quando esses últimos se alimentam, eles não apenas se multiplicam, como também liberam subprodutos metabólicos, de acordo com um estudo(leia aqui) da University of Colorado Boulder(UCB).

Resumindo, os prebióticos deixam os probióticos felizes, e probióticos felizes trazem muitos benefícios para nossa saúde.

Mas nem todas as fibras são consideradas prebióticos, já que para ter essa classificação, o alimento prebiótico precisa, de acordo com o Instituto Nacional de Saúde Americano, ser resistente à acidez gástrica, passar por hidrólise por enzimas, ter absorção no trato gastrointestinal superior, além de ser fermentado pela microflora intestinal e por consequência estimular o crescimento das bactérias intestinais potencialmente associadas com a saúde e o bem-estar.

Além do alho cru e da alcachofra, outros alimentos ricos em prebióticos são: a cebola, o tomate, a banana, a cevada, aveia, trigo, cerveja e mel. Também está presente nas cascas de oleaginosas e leguminosas como a linhaça, soja e na raíz da chicória.

Os benefícios são diversos, como a melhora do sono, já que o estudo da UCB sugere que uma dieta rica em prebióticos melhora o sono no estágio anterior ao REM, que é o estágio mais profundo do sono.

Melhora da saúde psicológica e do cérebro, já que ao melhorar o sono automaticamente a saúde do cérebro melhorará consideravelmente.

Além disso, alimentos ricos em prebióticos ajudam a reduzir o risco de câncer coloretal, de acordo com nove estudos feitos pela Universidade de Minnesota. Também aumenta a absorção de cálcio e a sensação de saciedade, podendo levar até mesmo a perda de peso.

Por isso, a partir de hoje, coloque em sua lista de compras todos esses alimentos ricos em prebióticos.

Fonte / Referências:
• Tree Hugger : “6 reasons to eat more food rich in prebiotics”

Instituto Nacional de Saúde Americano

University of Colorado Boulder(UCB)

Manteiga de abacate vegana

Esta receita de manteiga de abacate vegana é facílima de preparar e fica pronta em minutos. Além disso, necessita de poucos ingredientes, no caso o avocado, fruto que é da família do abacate, só que tem menos água e por isso tem um sabor mais forte e concentrado, além do limão, sal do himalaia e por fim o óleo de coco.

Você pode também incrementar essa receita incluindo outros ingredientes como a salsinha, a pimenta, o alho, etc.

Porém, agora vamos ensinar a receita de uma manteiga base para ser usada no dia a dia, de preferência substituindo a manteiga normal, o que trará inúmeros benefícios para a saúde, já que o abacate e os demais ingredientes desta receita são totalmente de origem vegetal, e portanto veganos, além, claro, de possuírem diversas propriedades benéficas.

O sabor também é incrível e se bobear superior ao da manteiga tradicional feita a partir do leite. Vale a pena pelo menos experimentar!

As propriedades do avocado

O avocado pode ser considerado um alimento funcional, já que é muito nutritivo, pois é rico em vitamina A, C, E e B6.

O avocado também contribui para deixar a pele mais saudável, previne infecções, auxilia em tratamentos de impotência sexual e ajuda a manter a saúde dos olhos. Ele também possui uma ótima quantidade de potássio, mineral que está presente em diversas(dezenas) funções de nosso corpo, além do fósforo, que é fundamental para a formação dos ossos e dentes.

Sua gordura é a insaturada, o que faz com que nossa manteiga de abacate seja o oposto da manteiga tradicional, repleta de gorduras saturadas. Além disso, possui fitoesteróis, que são um grupo de esteróis naturalmente presentes nas plantas e que ajudam na redução do colesterol.

Bom, propriedades e benefícios apresentados, vamos ao principal, que é a receita desta deliciosa manteiga de abacate vegana:

Manteiga de abacate vegana

Print This
Serves: 12 Prep Time:

Ingredients

  • 4 avocados bem maduros
  • 5 colheres de óleo de coco
  • Sumo de 1 limão
  • sal do himalaia

Instructions

Descasque os abacates e coloque-o em um recipiente. Utilize um garfo para massa-lo bastante(caso prefira, você também pode usar o liquidificador. Adicione os demais ingredientes e misture tudo muito bem com uma colher, até que se obtenha uma mistura homogênea. Pronto! Fácil, não?

Armazene em um pote com tampa em geladeira. Com o resfriamento, o óleo de coco presente na receita se solidifica, deixando a mistura mais parecida com a consistência da manteiga. Utilize em torradas, pães e lanches, saladas, etc.

Bom apetite!

Aprenda a fazer nossa deliciosa receita de guacamole

Iguaria típica da culinária do México, a receita de guacamole é muito simples e rápida de preparar, já que em menos de 10 minutos você consegue preparar.

Seu nome vem de origens indígenas, pois “Ahuacatl” é o abacate, e “mole” é um nome genérico para “molho”. Resumindo: molho de abacate. Segundo as tradições, foi criado pelos astecas e seu preparo foi ensinado ao povo Tolteca pelo deus Quetzalcóatl.

O abacate possui muita gordura saudável, isto é, é rico em ômega 3. Por isso é muito importante para a circulação sanguínea, para o cérebro e diversas outras funções relacionadas com o ômega 3. Possui também ácido fólico, proteínas e é rico em antioxidantes, o que ajuda a proteger o organismo como um todo.

Quem está acostumado a comer o abacate preparado como doce, no início poderá estranhar comê-lo como um prato salgado. Porém, depois de um tempo o estranhamento com certeza será comê-lo doce, já que os sabores desta fruta na sua forma salgada é muito mais rica e deliciosa. Aprecie nossa receita de guacamole!

Receita de guacamole

Print This
Serves: 4 Prep Time:

Ingredients

  • 1 abacate médio maduro
  • 1 tomate descascado e picado em pequenos cubos
  • 1 cebola picada em pequenos cubos(brunoise)
  • 1 dente de alho
  • 1 limão espremido
  • 1 colher de chá rasa de pimenta preta(moída na hora)
  • 1 colher de café de sal do himalaia
  • 1 colher de café de páprica picante

Instructions

Em um recipiente coloque o abacate esmague-o utilizando um garfo, até obter uma pasta. Adicione os demais ingredientes, mexa e misture tudo com uma colher.

Dica 1
Antes de cortar e picar o tomate, descasque, corte-o ao meio e com os dedos elimine a sua parte mais líquida(incluindo as sementes).

Dica 2
Se quiser uma versão mais apimentada, experimente colocar algumas gotas de sua pimenta predileta na sua receita de guacamole.

Dica 3
Coloque uma colher de chá de cúrcuma(açafrão da terra) e transforme seu guacamole em um super alimento, combinando a cúrcuma com a pimenta preta.

Notes

Bom apetite!

Conheça os 5 alimentos que devem ser consumidos crus

Boa parte dos alimentos que ingerimos podem ser mais benéficos quando preparados na sua forma correta. Alguns deles liberam mais vitaminas quando são assados ou cozidos, outros, são mais benéficos quando consumidos crus. Por isso montamos essa lista dos 5 alimentos que devem ser consumidos crus, para auxiliar na hora de preparar algum prato, aproveitando ao máximo os benefícios e nutrientes disponíveis para cada alimento.

Existem ainda aqueles que possuem benefícios diferentes ao serem cozidos ou comidos crus, isto é, se você cozinhar ele libera certa vitamina, mineral, etc., mas, se você come-lo cru, estará ingerindo algum outro tipo de nutriente.

Os 5 alimentos que devem ser consumidos crus

1. O alho

Para que se aproveite todos os benefícios do alho, a melhor forma de consumi-lo é ingerindo este cru. De acordo com estudos, o ideal é triturar, esmagar ou picar o alho e deixar 10 minutos em repouso antes do preparo. Esse é o tempo ideal para permitir a conversão da aliina em alicina, composto presente no alho que traz diversos benefícios. Saiba mais sobre as propriedades do alho em nosso post “Os 10 benefícios do alho”.

Utilize o alho cru para obter mais vitamina C, fósforo, selênio e, principalmente, alicina a substância presente no alho que é considerada um antibiótico natural, além de ter propriedades antioxidantes, auxiliar na redução do colesterol. Em regiões onde seu consumo é alto, coincidentemente ou não, é baixo o número de casos de câncer entre a população.

2. O brócolis

O brócolis também é ótimo contra o câncer, certo? Correto, mas comê-lo cru é a melhor forma de aproveitar este benefício, já que cozinhá-lo inativa a tirosinase, uma enzima presente no brócolis que ajuda a limpar o fígado de substâncias cancerígenas.

Experimente incluir o brócolis cru em saladas ou até mesmo em sucos. É essencial colocar o brócolis entre os alimentos que devem ser consumidos crus.

3. A cebola

Basta cortar e comer. Ao fritar ou cozinhar a cebola, você terá menor quantidade de seus benefícios, principalmente da quercetina, substância que ajuda a prevenir tumores.

Isso além de diversos outros benefícios, que vão desde melhorar a circulação sanguínea, até mesmo a prevenção contra a anemia, pois possui boas quantidades de fósforo, ferro, vitamina E.

4. A beterraba

Quando cozida, a beterraba pode perder mais de 25 por cento do seu folato(vitamina B).

Comê-la crua irá preservar este composto que é muito importante para diversas funções do corpo, principalmente o cérebro.

5. Couve

Rica em vitaminas A, C e B6 quando consumida crua, mas que se perdem quando cozidas. Experimente consumi-la em saladas, ou em sucos detox, como neste nosso delicioso suco verde feito com folhas de couve(veja aqui a receita).

Conhece mais alimentos que devem ser consumidos crus? Envie para nós!

Faça você mesmo: ketchup caseiro

Apesar de ser um molho muito utilizado na culinária norte-americana, o ketchup teve sua origem na China, onde o principal ingrediente usado era o cogumelo. Na Malásia(país que ajudou a introduzir o ketchup no ocidente), uma outra versão tem o nome de kechap, que significa “gosto”.

Temos ainda uma pequena controvérsia com o nome em português, se o correto seria usamos ketchup ou catchup. De acordo com a Academia Brasileira de Letras, a resposta é ketchup, como na versão em Inglês e seu plural, por mais estranho que possa parecer, é ketchups!

Você sabia que no século 19 o ketchup já foi utilizado como remédio? Sim, é isso mesmo, um médico norte-americano chamado John Cook Bennett considerava o ketchup como um santo remédio para curar males como diarréia, indigestão e icterícia.

Uma outra curiosidade sobre o ketchup é que ele pode ser usado com sucesso para limpar peças de metais, como jóias, talheres, lustres, etc. Basta aplicar ketchup na peça e deixar por 15 minutos, esfregar com uma escova e depois enxaguar com água. Funciona, já que o ketchup tem como base de sua composição o tomate e também o vinagre, que o tornam ácido e ótimo para a limpeza desses materiais.

Bom, vamos ao que interessa, a receita do ketchup caseiro!

Ingredientes do nosso ketchup caseiro

• 1 lata de tomate pelado(400 gramas) de parma
• 1 cebola picada finamente
• 2 colheres de sopa de óleo de coco
• 2 dentes de alho esmagados
• 3/4 de xícara de açúcar mascavo
• 2 colheres de sopa de aceto balsâmico
• pimenta preta para moer na hora
• 50 ml de vinagre de vinho branco
• 1 colher de café de gengibre em pó
• 1 colher de café de pimenta do reino moída finamente
• 1 colher de chá de páprica doce
• 3 colheres de chá de sal
• 2 colheres de sopa de azeite
• 2 colheres de sopa de amido de milho

Como Preparar seu ketchup caseiro

Aqueça uma panela em fogo baixo com 2 colheres de óleo de coco. Adicione a cebola e mexa constantemente, até que esta fique bem dourada – aproximadamente 10 minutos. Adicione uma colher de açúcar mascavo, 2 colheres do vinagre balsâmico e moa um pouco de pimenta por cima. Continue mexendo por mais 2 minutos, acrescente então os 2 dentes de alho esmagados e mexa por mais 5 minutos.

Adicione o tomate pelado, junto com 1/2 xícara de água. Deixe cozinhar por mais 10 minutos, para que o molho ganhe consistência. Adicione então o vinagre de vinho branco, o gengibre, a páprica, a pimenta do reino, o sal e o restante(mais ou menos 1/2 xícara) do açúcar mascavo.

Desligue o fogo e leve todos os ingredientes ao liquidificador. Adicione o amido de milho e o azeite e bata bem, até que os ingredientes fiquem bem misturados.

O rendimento é de aproximadamente 400ml.

Dica

Para armazenar, utilize se possível potes de vidros reutilizados e bem limpos/higienizados(o ideal aqui é, além de lavar bem os potes, também ferve-los por aproximadamente 15 minutos.

Deixe o ketchup caseiro guardado para esfriar(e também para absorver melhor o sabor) por pelo menos 3 horas antes de usar pela primeira vez. Você pode guardar em geladeira por até 3 semanas.

Bom apetite!

Óleo de linhaça e os benefícios do ômega 3

Você sabia que o ômega 3 é um óleo essencial que não é produzido naturalmente pelo nosso corpo mas que é extremamente importante para que diversas funções funcionem corretamente? Nessa matéria vamos falar sobre os benefícios do ômega 3 obtido pelo óleo de linhaça.

Para se ter uma ideia, ele é responsável por fortalecer o sistema imunológico, ajuda a manter o aspecto saudável da pele, contribui no controle da pressão arterial(estimulando a vasodilatação) e na diminuição dos níveis de colesterol e triglicérides no sangue. Além disso, é um forte agente anti-inflamatório e atua diretamente no cérebro, ajudando no tratamento da depressão e melhorando consideravelmente o desempenho cognitivo.

Uma das principais fontes vegetarianas de ômega 3 é o óleo de linhaça.

Existem algumas divergências entre o ômega 3 que é ingerido na forma de vegetais e aqueles consumidos de origem animal, como por exemplo o óleo de peixe.

Na teoria, o óleo de origem animal é mais eficiente pois já está na sua forma final e não precisaria ser metabolizado pelo nosso corpo. Na prática, podemos fazer alguns ajustes na quantidade que ingerimos desses óleos vegetais para que seu metabolismo possa ser mais eficiente e contanto sem precisarmos utilizar um produto de origem animal.

Um ótimo texto explicando em detalhes como isso deve ser feito pode ser lido no site do Guia Vegano, clicando aqui.

O ideal é que o óleo de linhaça seja orgânico e também prensado à frio. Um que costumamos sempre importar no iherb.com é este aqui, que vem com 250 cápsulas e tem essas características. A dose recomendada deste produto é de 3 ao dia.

Caso não queira tomar um complemento, ou queira complementar sua dieta, você também pode fazer o seu óleo de linhaça em casa, deixando de molho de um dia para o outro 1 parte de linhaça para duas de água. Quando hidratar e as sementes soltarem o óleo, você pode adicionar ao arroz, suco, salada, etc.

Desafio vegetariano: 7 dias sem carne

Tentar este desafio vegetariano e ficar sem comer carne por 7 dias pode ser uma maneira divertida e interessante para experimentar(e ver que não é tão difícil assim seguir) o vegetarianismo.

Por que virar vegetariano?

• Pela saúde: Reduza o risco de certos tipos de câncer, diminua seu colesterol e tenha mais energia.
• Pelos animais: Deixe-os simplesmente viver 😉
• Pela natureza: Menos emissão de carbono, menos desmatamentos para a pecurária, etc.
• Por um desenvolvimento mental (e para alguns também espiritual): Sua mente se desenvolve também quando precisa se adaptar à novos padrões e disciplinas.
• Experimentar coisas novas: novas receitas, novos restaurantes. Saia um pouco do padrão ao qual está acostumado.

Como funciona

Escolha uma segunda-feira e inicie seu desafio vegetariano, corte de seu cardápio todo tipo de carne, tanto vermelha como branca(sim, aves e peixes também não podem). Faça isso durante toda a semana até domingo, o último dia.

Experimente novas receitas e não apele para as massas ou soja. Vegetarianos comem soja, mas muito menos do que as pessoas imaginam. Dê uma olhada nas diversas receitas aqui do Cultivate e experimente alguma.

Dicas

Não se preocupe na falta que a carne fará ao seu corpo na absorção de nutrientes essenciais. Na verdade ela não fará nenhuma falta desde que você se alimente corretamente.

Experimente comer muitos grãos, como o feijão, a lentilha ou o grão de bico, aliados ao arroz integral e verduras(principalmente aquelas com cor verde escura). Desta forma você estará ingerindo todas as suas necessidades diárias de ferro e proteínas que precisa.

Castanhas, quinua, sementes de chia e outros tipos de grãos também são excelentes fontes de nutrientes. Não se esqueça dos sucos, como o de laranja, por exemplo, que por ser rico em vitamina C fará seu corpo absorver mais ferro.

Desafie e compartilhe!

Que tal chamar algum amigo ou companheiro(a) para participar do desafio vegetariano?

Participe e deixe aqui no site seu comentário como foi todo o processo e como se sentiu ao final de uma semana.

Você também pode usar a hashtag #desafio7diasvegetarianos no twitter, facebook ou instagram para postar textos ou fotos sobre o desafio vegetariano.

Boa sorte!