The art of flying, por Jan van IJken

“The art of flying” é um curta-documentário sobre o incrível “show”aéreo feito pelo pássaro da espécie estorninho-comum. Ainda não se sabe como os milhares de pássaros podem voar em enxames tão densos sem colidir.

Todas as noites, os estorninhos se reúnem ao entardecer para realizar o seu deslumbrante show aéreo, voando em bandos compactos, em interessantes evoluções, mudando rapidamente de direção tal como um cardume de peixes.

Com frequência, após a época de reprodução, oferecem esse espectáculo tanto no campo como nas grandes cidades.

Uma outra característica interessante e menos conhecida dos estorninhos é a sua capacidade de ingestão de álcool. Graças a uma enzima específica que produz, consegue processar o álcool 14 vezes mais rapidamente que um ser humano!

Para saber mais sobre o documentário acesse janvanijken.com.

O poder da meditação e da yoga no documentário “Free the Mind”

Dirigido por Phie Ambo, o documentário “Free the Mind” mostra como a ciência está investigando o poder da meditação e da yoga através de estudos e testes ordenados pelo pesquisador, neurocientista e renomado professor Richard Davidson.

Davidson foi incentivado, em 1992, por Dalai Lama a realizar diversos estudos sobre a meditação para comprovar seus benefícios.

Para o documentário, o neurocientista selecionou crianças e veteranos de guerra que desenvolveram transtornos psicológicos decorrentes de algum trauma e submeteu estes a longos períodos diários de meditação e yoga, porém durante apenas uma semana.

Durante o documentário, é possível perceber uma clara evolução daqueles que foram submetidas ao experimento, enfim, o poder da meditação e da yoga, tudo comprovado através de testes cujos resultados são mostrados ao final do filme.

É um documentário muito interessante, que vale a pena ver, disponível online para os assinantes da Netflix.

Para saber mais sobre o filme, clique aqui.

Trailer Oficial

Documentário completo: O mundo segundo a Monsanto

O Mundo Segundo A Monsanto” é um documentário feito por Marie-Monique Robin e lançado em 2008, que mostra como a empresa tinha consciência que muitos de seus produtos seriam prejudiciais às pessoas, porém preferiram esconder isso das autoridades com o objetivo de manter seus lucros.

A empresa é uma das maiores fabricantes de pesticidas do mundo, além de insumos agrícolas, sementes e alimentos geneticamentes modificados. O mundo segundo a Monsanto mostra ainda como a empresa também foi a responsável pela fabricação do PCB (piraleno), o agente laranja usado como herbicida na guerra do Vietnã.

“O Mundo Segundo A Monsanto’ mostra ainda os diversos casos de câncer comprovadamente decorrentes do uso destes produtos, como por exemplo o “Roundup”, um dos herbicidas mais usados no mundo, além do processo que a obrigou a retirar o termo biodegradável deste mesmo produto, por propaganda enganosa.

Marie-Monique Robin é uma premiada jornalista francesa, que, em 2004, gravou um documentário sobre a Operação Condor chamado “Esquadrões da Morte: A Escola Francesa”- para o qual entrevistou vários dos maiores repressores das ditaduras militares dos anos 70. Recebeu o prêmio Albert Londres em 1995, por Voleurs d’yeux, um trabalho sobre o roubo de órgãos.

Assista abaixo ao documentário O Mundo Segundo A Monsanto

Documentário completo: O veneno está na mesa

Você sabia que o Brasil é o país do mundo que mais consome agrotóxicos, cerca de 5,2 litros/ano por habitante? Além disso, sabia que dezenas de produtos que são proibidos em diversos países do mundo, por cusarem problemas de saúde, são tolerados e utilizados largamente no Brasil?

O veneno está na mesa” é um documentário do cineasta Silvio Tendler, que além dos problemas acima, fala também da “revolução verde”, que disseminou a plantação de alimentos geneticamente modificados e tratados com um uso descontrolado de agrotóxicos e outros produtos químicos.

O resultado foi, além da consequente destruição da agricultura tradicional, um enorme estrago na saúde de todos. O perigo é tanto para os trabalhadores, que manipulam os venenos, quanto para os cidadãos, que consomem os produtos agrícolas.

Só quem lucra são as multinacionais que fabricam os agrotóxicos.

A solução é a mesma: muita informação e alimentos orgânicos.

Assista aqui ao filme completo “O Veneno Está na Mesa”:

BPA e câncer: o perigo em forma de plástico e revestimentos

O BPA, nome comumente usado para designar o Bisfenol-A, é uma substância química orgânica que é base de polímeros e revestimentos, principalmente os plásticos policarbonatos. Ele é utilizado em praticamente tudo o que se possa imaginar, como eletrodomésticos, óculos, lentes, embalagens, computadores, celulares, mamadeiras, chupetas e diversos outros tipos de produtos, como por exemplo aqueles papéis térmicos que pegamos no banco.

O grande problema, porém, é que existem diversos estudos que ligam BPA e câncer. Ao entrar na corrente sanguínea, o Bisfenol-A confunde os receptores celulares no organismo e se comporta de forma parecida à dos estrógenos naturais, isto é, como mais um hormônio do corpo. Com doses muito pequenas(nanomolares) desta substância no corpo, ele já pode causar alterações na ação dos hormônios da tireóide, a liberação de insulina pelo pâncreas e aumentando a proliferação das células de gordura.

O documentário “The Human Experiment”(O experimento humano – saiba mais sobre o filme neste outro post que publicamos) explora bastante esse assunto, mostrando o uso descontrolado do BPA pela indústria e a ligação BPA e câncer, além da luta dos consumidores para que ele pare de ser utilizado.

Normalmente a contaminação pelo BPA ocorre quando este é ingerido. Significa que, quando um alimento é embalado ou entra em contato com um composto plástico com a substância, principalmente se este alimento estiver quente, acontece a contaminação. Alimentos embutidos também podem sofrer essa contaminação, pois algumas resinas internas dos recipientes podem conter BPA. Com os papéis termosensíveis(aqueles extratos bancários), a contaminação pode ocorrer através da pele.

Infelizmente a segurança dos produtos que utilizamos está condicionada aos testes aos quais estamos sendo submetidos diariamente(conforme vamos utilizando esses compostos) e sua disponibilidade só é limitada quando milhares de pessoas já morreram por sua causa, como o caso do BPA e câncer.

Isso aconteceu com o chumbo, por exemplo, que era utilizado na gasolina e em tintas na década de 50, até finalmente ser associado diretamente com diversas causas de câncer. Neste caso, assim como em muitos outros e como é mostrado no documentário(“The Human Experiment”) a indústria química ainda lutou bastante para manter o uso do chumbo mesmo depois de já ter ciência dos problemas que poderia acarretar.

No Brasil temos a regulação da Anvisa, que proibiu a produção e importação de mamadeiras que contenham BPA. Nas lojas você pode observar o selo “BPA Free” em diversas marcas. Porém, muitos outros produtos plásticos(muitos usados por crianças) não foram incluídos nesta proibição. Então, atenção na hora de comprar e sempre dê preferência aos utensílios de vidro, porcelana ou aço inoxidável.

Saiba mais sobre BPA e câncer:

Documentário The Human Experiment – O Experimento Humano – saiba mais aqui.
Sociedade Brasileira de Endocrinologia.
Ecycle – Sua pegada mais leve.

Documentário: O Experimento Humano

O Experimento Humano é um documentário criado em 2013(mas lançado oficialmente no ano passado, 2015) dirigido por Don Hardy Jr. e Dana Nachman e produzido pelo ator Sean Penn, que também faz a narração.

O documentário analisa o aumento absurdo de casos de câncer e outras doenças nas últimas décadas e faz uma conexão disto com o uso descontrolado de produtos químicos no nosso dia-a-dia.

Substâncias químicas estão presentes em praticamente tudo o que temos contato diariamente, como roupas, acessórios, cremes dentais, filtros solares, alimentos, produtos de limpeza e até no ar que respiramos. E praticamente todas essas substâncias não passam por absolutamente nenhum teste antes de chegar até nós. Vem daí o título do documentário, estamos sendo cobaias da indústria química. Preocupante, não?

Para quem quiser assistir, o documentário está disponível para os assinantes da Netflix. Para mais informações sobre o filme, acesse thehumanexperimentmovie.com.

Assista ao trailer:

Muito Além do Peso: documentário obrigatório para pais e mães

“Muito Além do Peso” é um ótimo(e triste) documentário sobre a alimentação infantil, visto que um terço das crianças brasileiras está acima do peso. Esta é a primeira geração a apresentar doenças antes restritas aos adultos, como depressão, diabetes, atrites e problemas cardiovasculares.

Assistindo ao documentário, podemos constatar como as autoridades responsáveis estão pouco interessadas em resolvê-lo. As grandes indústrias de “sub-alimentos” parecem controlar, além de um vasto espaço publicitário destinado ao público infantil, também boa parte dos governantes que pouco fazem para resolver o problema.

O documentário, dirigido por Estela Renner e de produção da Maria Farinha Filmes, traz ainda diversas entrevistas com pais, professores e especialistas e levanta diversas questões importantes para tentar entender as origens do problema. Trechos de algumas palestras dadas pelo chef Jamie Oliver sobre alimentação saudável também são mostradas neste documentário.

“Muito Além do Peso” é é indispensável para pais, educadores e para todos aqueles que se interessam por uma alimentação saudável, tanto dos adultos como(e principalmente) das crianças.

O filme é disponibilizado gratuitamente através da página da Maria Farinha Filmes no Youtube, ou mesmo para download e divulgação através do site muitoalemdopeso.com.br.

Assista abaixo ao documentário(completo):

Ficha técnica:
Muito Além do Peso (Way Beyond Weight, 2012)
Obesidade, a maior epidemia infantil da história.
Ficha Técnica:
Direção: Estela Renner
Produção Executiva: Marcos Nisti
Direção de Produção: Juliana Borges
Fotografia: Renata Ursaia
Montagem: Jordana Berg
Trilha Sonora: Luiz Macedo

Documentário Eu Maior (Higher Self)

Eu Maior“é um documentário que traz uma reflexão contemporânea sobre autoconhecimento e busca da felicidade por meio de diversas entrevistas com expoentes de diversas áreas, como por exemplo Marcelo Gleiser, Leonardo Boff, Monja Coen, Sri Prem Baba, Professor Hermógenes, entre muitos outros.

Com perfis bem distintos, os entrevistados em “Eu maior” têm em comum a disposição de compartilhar perguntas, respostas, e experiências de vida que ampliaram suas percepções de si e do mundo. Veja algumas frases dos entrevistados no documentário:

“Eu prefiro viver com a dúvida, do que ser enganado por uma ilusão.” Marcelo Gleiser

“Deus existe? Quem sou eu? Por que nascemos, morremos? Há significado nisso? É por nada?” Monja Coen

“O sentido da vida é poder realizar as muitas virtualidades que estão dentro do ser-humano.” Leonardo Boff

O filme completo foi disponibilizado pela produtora no Youtube e pode ser assistido abaixo:

Para saber mais sobre o projeto acesse: eumaior.com.br.