As receitas veganas de Natal do Jamie Oliver

Você já imaginou comemorar o fim de ano e saborear sua ceia com diversas receitas veganas de Natal do Jamie Oliver?

Pois é isso mesmo, o chef britânico Jamie Oliver publicou em seu site uma série de receitas veganas para as comemorações de Natal, que vão das entradas até as sobremesas. Pelas fotos acima já da pra ter uma ideia da qualidade dos pratos!

Algumas das receitas são simples de preparar, porém temos outras que são bem complexas. Enfim, um belo desafio para os ‘chefs’ de plantão testarem suas habilidades na cozinha, além de atualizar seu idioma(e não se esqueça da conversão das medidas para os padrões que usamos aqui).

Iniciativa muito interessante de Oliver, que ultimamente tem feito diversas campanhas e dado palestras sobre como mudar os hábitos alimentares nas escolas britânicas em busca de uma alimentação mais saudável e nutritiva.

Quer ver as receitas?

Acesse: http://www.jamieoliver.com/christmas/collection/vegan/

(Caso você faça alguma das receitas, comente aqui o que achou.)

Participe do leilão de arte em prol do Médicos sem Fronteiras

As obras do artista plástico Alexandre Keto, inspiradas no filme “Affliction – O Ebola na África Ocidental”, da organização humanitária internacional Médicos Sem Fronteiras, estarão em um leilão de arte em prol da própria organização que ocorrerá no dia 6 de dezembro (terça-feira), às 21h.

100% do valor arrecadado com os arremates serão destinados ao trabalho do MSF no continente africano, onde, até 2015, a organização mantinha 256 programas.

A participação poderá ser feita através da casa leiloeira Bolsa de Arte, pelo telefone (11) 3062-2333, ou online, através do site www.iarremate.com(será necessário fazer um cadastro prévio).

Para participar como pessoa física, é necessário ser maior de 18 anos e, como pessoa jurídica, a empresa deve estar regularmente inscrita no CNPJ e preencher devidamente as informações solicitadas no formulário de cadastro.

Divulgue, ou participe dando seu lance e ajudando o MSF a salvar vidas!

Veja abaixo detalhes das obras:

leilão de arte em prol do Médicos sem Fronteiras
leilão de arte em prol do Médicos sem Fronteiras

*Informações obtidas através de e-mail da organização Médicos sem Fronteiras.

A filosofia e o sabor dos vinhos biodinâmicos

O número de produtores que abandonaram o uso de pesticidas e herbicidas no cultivo dos vinhedos é crescente, a grande maioria destes migrando para a cultura orgânica e outros ainda para os vinhos biodinâmicos. Para nós, já está claro como funciona o cultivo orgânico, mas o que seria então o cultivo biodinâmico? Como são produzidos os vinhos biodinâmicos?

Bom, para entender o processo de obtenção dos vinhos biodinâmicos, precisamos antes explicar resumidamente o que é a biodinâmica.

A biodinâmica

A biodinâmica é um conceito baseado na antroposofia, filosofia que engloba ensinamentos do austríaco Rudolf Steiner (1861-1925). A influência de Steiner na agricultura começou efetivamente a partir de uma palestra que ele foi convidado a fazer, em 1924, na Alemanha, para algumas dezenas de pequenos produtores rurais, que estavam incomodados com a situação e a qualidade de suas terras, resultado da guerra e da revolução industrial.

O objetivo da aplicação dos conceitos biodinâmicos na atividade agrícola, teria por fim, de acordo com Steiner, valorizar o solo, a planta em seu habitat puro e natural, alimentando as vinhas de forma correta e respeitando a biodiversidade ao redor da vinícola. Os vinhos biodinâmicos seriam então, neste sentido, diferentes dos orgânicos, já que todo o processo envolvido na produção do vinho se completaria naturalmente seguindo as leis e o movimento da natureza.

A teoria e a prática

“Não filtrado, não clarificado, não amadurecido em madeira. Cada garrafa pode ser diferente. Ingredientes&Aditivos: uva… Desculpe mas não acompanhamos o mercado, produzimos vinhos que nos agradam, vinhos da nossa cultura. Eles são o que são e não o que querem que eles sejam.” – contrarrótulo dos vinhos da Dettori, premiada vinícola da Sardenha.

A agricultura biodinâmica vem no contrafluxo do mercado, pois espera-se produzir melhor, porém em menor escala. Ela está bem longe das vinículas que preferem produzir muito, porém gastando pouco, simplesmente visando o lucro. É um passo atrás naquilo que é chamado de desenvolvimento e a mensagem e o resultado mostra que este é o lado positivo disso tudo.

O plantar pelo prazer e de se produzir com qualidade, explica, por exemplo, o uso de rosas plantadas entre as vinhas, já que essas contribuem para controlar a proliferação de pragas.

Além disso, as vinhas não são “alimentadas” como em outros vinhedos normais, assim, suas raízes são forçadas a buscar seus nutrientes somente na terra, onde aprofundam-se mais e mais no solo em busca destes, trazendo-os da terra mais profunda até suas uvas. Assim, o resultado seria vinhos muito mais complexos e saborosos.

E não pense que seguir o ritmo da natureza se resume apenas ao nosso planeta e ao que é natural para nós: o engarrafamento do vinho é feito de acordo com o ciclo lunar. E claro, assim como no caso dos orgânicos, pesticidas e outros produtos químicos são totalmente proibidos.

Os vinhos biodinâmicos são melhores que os tradicionais?

É praticamente impossível comprovarmos cientificamente os benefícios da teoria biodinâmica, por isso ela muitas vezes é alvo de questionamentos.

De qualquer forma, seguindo o conceito é quase certo que as uvas provenientes de um cultivo biodinâmico sejam muito mais saudáveis, ricas em nutrientes e atinjam um grau de pureza e uma expressão do terroir superiores.

Alguns especialistas em vinhos, como o enólogo Jorge Lucki, por exemplo, que apresenta o ótimo quadro sobre vinhos “Momento do brinde”, na rádio CBN, costumam falar com bastante empolgação dos vinhos biodinâmicos.

Mas, se você quiser saber mesmo se os vinhos biodinâmicos são realmente diferentes e saborosos, siga nosso conselho: experimente!

Fontes e referências:
• “Natural Resistance”, o manifesto ‘natureba’ – matéria escrita por Jorge Lucki no jornal Valor Econômico de 06/08/2015.
• “Escola biodinâmica completa 90 anos” – matéria escrita por Jorge Lucki no jornal Valor Econômico de 27/11/2014.
tintosetantos.com – “Vinho orgânico e biodinâmico”
ArtdesCaves – “Entenda a diferença entre vinho orgânico, biodinâmico e natural”

Saiba como descobrir um psicopata pela comida

Você prefere gim-tônica ou um café preto bem forte? Quer saber como descobrir um psicopata pela comida que ele mais gosta?

De acordo com um estudo da Universidade de Innsbruck(que fica na Áustria) é possível descobrir um psicopata pela comida. E sobre a questão acima, qualquer escolha que você faça entre estes alimentos, você pode(ou ter tendências) para ser um psicopata. De acordo com a pesquisa, pessoas com tendências psicopatas tendem a gostar mais de alimentos amargos, como o caso do café(preto forte ou espresso), da gim-tônica, além de outros como o chocolate amargo, frutas cítricas, etc.

Aproximadamente 1000 pessoas participaram do estudo, dividido em uma primeira parte, onde deveriam classificar alimentos de acordo com seu paladar e numa segunda parte, onde fizeram uma série de testes orientados para se detectar personalidades psicopatas ou um pouco mais “sombrias”. Depois fizeram a associação entre as duas partes e a descoberta: pode-se descobrir um psicopata pela comida.

A explicação para isso está na resposta que nosso cérebro dá para alimentos deste tipo.

Nas pessoas consideradas “normais”, alimentos amargos estariam relacionados em nosso cérebro com veneno e desta forma, quando algum alimento com este sabor é ingerido, logo é rejeitado, trazendo uma sensação ruim. Para pessoas com tendências a psicopatia, esta associação não existe, pois ao ingerir alimentos deste tipo, o cérebro tem a associação entre o perigo como uma fonte de prazer ou diversão.

De qualquer forma o estudo apontou que muitas das pessoas classificadas comos psicopatas tem este tipo de preferência, mas não podemos generalizar, certo? Descobrir um psicopata pela comida não deve ser muito interessante caso você esteja jantando ou tomando uma tônica com um(a).

Até porque nunca entendi direito rejeição das pessoas por uma deliciosa água tônica bem gelada, ou um café espresso sem açúcar… não é verdade? 😛

Notícia original do Daily Mail

Que tal ajudar uma organização humanitária?

Somos consumidores conscientes, compramos produtos orgânicos, pensamos em nossa saúde, praticamos exercícios físicos, meditamos, etc. e nos preocupamos com o meio ambiente, nos tornamos veganos, vegetarianos, além de darmos preferência a boas caminhadas, pedaladas e aceleradas em carros econômicos ao invés de andar em grandes(e ridículos) SUVs.

Mas, a preocupação não pode ficar somente no universo restrito ao nosso pequeno universo do dia-a-dia, principalmente em um mundo com tantos problemas e crises humanitárias. Vide as tristes e chocantes imagens que recorrentemente fazem parte dos jornais em todo o mundo, como as guerras e os refugiados da Síria.

Muitos escolhem se engajar e ajudar pessoalmente a aliviar problemas como este, unindo-se a uma das muitas organizações humanitárias espalhadas pelo mundo. Aos demais, a participação pode vir através de patrocínio dado mensalmente ou esporadicamente a essas organizações, para que os recursos possam chegar àqueles que necessitam.

Uma importante organização, que atua em todo o planeta enviando médicos e voluntários é o Médicos sem Fronteiras, que você pode ajudar se cadastrando no próprio site e contribuindo mensalmente com valores a partír de 30 reais. É um real por dia, mas que fará uma grande diferença com a participação de todos.

Sobre o MSF

O MSF, ou Médicos sem Fronteiras, é a maior organização não governamental de ajuda humanitária do mundo. Foi criada em 1971 por jovens médicos e jornalistas franceses, liderados pelo médico francês Bernard Kouchner, que tinham ido a Biafra com a Cruz Vermelha para tentar ajudar a população.

Quer saber mais ou dar sua contribuição?
Acesse: msf.org.br

Conheça o canal Raw. Vegan. Not Gross. do Youtube

Raw. Vegan. Not Gross.

Raw. Vegan. Not Gross.” é um canal do Youtube, apresentado por Laura Miller, que também faz parte de um canal gratuito da Apple TV chamado “Tastemade”, com diversas receitas veganas incrivelmente simples de fazer.

Um exemplo disso é esta deliciosa receita de sorvete feito com banana e frutas, onde basta misturar as duas coisas, levá-las ao freezer e pronto: sorvete feito!

Para acessar o canal do “Raw. Vegan. Not Gross.” no Youtube, clique aqui.

Na Apple TV, basta localizar o ícone do “Tastemade” na listagem principal e pronto, o canal está la dentro.

Aproveite, pois apesar de ser em Inglês, as receitas elaboradas são muito visuais e simples de acompanhar.

10 páginas vegetarianas ou veganas para você curtir no Facebook

Selecionamos algumas ótimas páginas vegetarianas e/ou veganas para você transformar o conteúdo do seu Facebook em algo muito mais agradável.

A grande maioria delas traz ótimas receitas, além de dicas sobre alimentação, que vão ajudar e muito aqueles que se tornaram vegetarianos ou mesmo veganos há pouco tempo, além de dar aquele sabor especial na hora de preparar um delicioso prato.

Ah, e claro, aproveite e curta também nossa página no facebook! O link é este aqui facebook.com/kitchenlab.com.br.

Veja abaixo a lista

Cantinho Vegetariano
https://www.facebook.com/cantinhovegetariano

Revista Vegetarianos
https://www.facebook.com/RevistaVegetarianos

Miscelânea Milanesa
https://www.facebook.com/pages/Blog-Miscelânea-Milanesa/174418402740343

Papacapim
https://www.facebook.com/pages/Papacapim/297862846934648

Receitas vegetarianas
https://www.facebook.com/receitasvegetarianas.net

Bambu Chuveroso
https://www.facebook.com/pages/Bambu-Chuveroso/149228978457370

Veganana
https://www.facebook.com/VegananaOficial

Menu Vegano
https://www.facebook.com/menuvegano

VegeTV
https://www.facebook.com/pages/VegeTV/303859819651460

Somos vegetarianos
https://www.facebook.com/SomosVegetarianos

Se tiver mais alguma sugestão, por favor nos envie!

Cultivate a better world

“The Scarecrow” é uma belíssima animação criada para divulgar um jogo para celular da “Chipotle”, uma empresa de produtos alimentícios mexicana. Tanto o filme como o jogo, foram idealizados para fortalecer o principal posicionamento da empresa: “Cultivate a better world”.

Produzido pelo estúdio Moonbot e com trilha sonora da cantora Fiona Apple, a animação mostra um espantalho que descobre o horrível processo de produção da indústria alimentícia moderna, que vende a imagem de que seus produtos são “frescos”, mas que na verdade exploram desde as pessoas que trabalham em uma linha de produção totalmente industrial, chegando até o outro extremo, a exploração “desumana” dos animais.

Infeliz em fazer parte deste processo, o espantalho resolve vender seus próprios produtos, todos cultivados e produzidos de forma orgânica em sua própria casa no campo, oferecendo assim uma forma alternativa e muito mais saudável de alimentação não processada.

Para quem se interessar pelo jogo, este é gratuito e está disponível para celulares com o sistema iOS(Apple).

Elephants in the Kitchen

O divertido nome “Elephants in the Kitchen” pertence a uma empresa que trabalha exclusivamente com a criação de queijos artesanais veganos – não utiliza nenhum ingrediente de origem animal.

Elephants in the kitchen

Os queijos são produzidos com um processo que se assemelha muito ao do queijo tradicional feito com leite, pois também são utilizadas técnicas como a cultura, envelhecimento e a cura. Além disso são adicionadas deliciosas ervas e especiarias, o que dá aos queijos um sabores e texturas únicas.

Elephants in the kitchen

A identidade visual da marca, que inclui toda a papelaria e embalagem, foi criada pela agência Bluerock Design, cujo objetivo era posicionar e destacar a marca entre outros produtos de alta qualidade.

Elephants in the kitchen

Saiba mais sobre o “Elephants in the Kitchen” no endereço: bluerockdesignco.com, ou então no próprio facebook da marca, em facebook.com/ElephantsInTheKitchen.

Elephants in the kitchen